Dermatite seborreica: fatores genéticos e oleosidade contribuem para o surgimento da caspa; saiba quais os tratamentos mais indicados para combatê-la

Foto: Reprodução

A caspa é uma condição que se manifesta em partes do corpo onde existe maior produção de óleo pelas glândulas sebáceas. Ela é muito comum no couro cabeludo, sobrancelhas, barba, perto do nariz, atrás e dentro das orelhas, no peito, nas costas e nas dobras de pele (axilas, virilhas e debaixo dos seios). 

De acordo com a biomédica e tricologista  Dra. Mirian Lima, especialista em cuidados capilares, os principais fatores que estimulam o aparecimento da caspa são: genética, alterações hormonais, calor, acúmulo de resíduos no couro cabeludo, má higienização, alimentação desequilibrada e oleosidade excessiva – que é a considerada a causa mais popular dentre todos esses indicadores citados.

"É importante evidenciar que a caspa é sintoma de uma doença cutânea chamada dermatite seborreica. Essa doença nada mais é do que uma inflamação, que provoca a irritação do couro cabeludo e essa descamação branca/amarelada, que conhecemos como caspa", explica Dra.  Mirian. 

Apesar de parecer inofensiva, se a dermatite não for tratada corretamente, ela pode evoluir e, consequentemente, causar coceira, manchas vermelhas e até mesmo feridas.

"Se atente aos sinais que o seu couro cabeludo dá e trate a caspa não só como uma questão estética, mas também como uma questão de saúde", ressalta. 


Tratamento

Para o tratamento adequado, o primeiro passo é procurar um profissional para repassar todas as orientações ao paciente sobre como funciona a profilaxia. 

"Em alguns casos, os corticoides são recomendados. Mas é importante pensar que todos os protocolos de tratamento são personalizados, já que cada couro cabeludo tem recomendações diferentes", comenta.

Dra. Mirian também pontua a existência de terapias integrativas que realizam os processos fungicidas e bactericidas, capazes de trazer o processo de controle, como Eletroterapia, Ledterapia Vermelha/Azul, Ozonioterapia, esfoliação com microesferas antioxidantes, Argilaterapia e manipulação de tratamentos com oléos anti-inflamatórios.

"Reforço que todo e qualquer tratamento, sejam ele complementar ou não, necessitam de acompanhamento de um profissional. Somente ele poderá informar qual o melhor processo para erradicar a caspa", avalia a profissional.

Comentários

Mais conteúdo

João Inácio Júnior fala sobre os resultados de biopsias na cabeça

ArtePraia virou documentário

Empreendedores compartilham experiências através do podcast “Fala, Empresário!”